HYPERA VENDE NEOCOPAN PARA UNIÃO QUÍMICA



POR EGLE LEONARDI E JÚLIO MATOS

A Hypera Pharma acaba de confirmar a venda da marca Neocopan para a União Química. O produto integra o catálogo da NeoQuímica, braço de medicamentos isentos de prescrição (MIP) da Hypera. A transação está avaliada entre R$ 60 milhões e R$ 90 milhões, considerando que operações desse tipo equivalem de duas vezes a três vezes as vendas do medicamento, apurou o Valor Econômico. De acordo com a consultoria especializada no setor farmacêutico, IQVIA, em 2019 faturou-se com o Neocopan cerca de R$ 30 milhões.


O vice-presidente da União Química, Vagner Nogueira, disse ao jornal que o negócio foi fechado na segunda-feira (06/07), e foi uma recomendação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para a aprovação da compra da família Buscopan, concluída no final do ano passado, em que a Hypera desembolsou R$ 1,3 bilhão à Boehringer Ingelheim.


“O Cade identificou concentração de mercado nessa categoria de medicamentos, que é de analgésicos e antiepasmódicos. Negociamos durante cerca de um mês e completamos a compra ontem [06/07]. O Neocopan completa o nosso portfólio do OTCs. Os recursos são provenientes do nosso caixa”, disse Nogueira. Até maio, segundo a IQVIA, a família Buscopan vendeu R$ 206 milhões e deteve 60% de participação na categoria. O Neocopan é o segundo medicamento mais vendido nesse segmento, mas detém uma fatia de pouco mais de 8%.


Outra matéria sobre o tema: 4 passos para entrar na indústria farmacêutica


Em nota, a Hypera confirmou as negociações com a União Química. Segundo a farmacêutica, foi apresentado ao Cade a proposta de venda do Neocopan, que já foi aprovada pelo órgão. “Essas medidas fazem parte das iniciativas apresentadas ao Cade para a aprovação da aquisição da família de produtos Buscopan pela companhia, anunciada em dezembro de 2019. A transação aguarda análise do tribunal do conselho” informou.


Se, para a Hypera, a venda dessa marca é necessária para a aprovação do negócio do Buscopan, para a União Química, segundo Nogueira, com o Neocopan, o faturamento da farmacêutica irá aumentar em 6%. Até maio, a empresa obteve uma receita de R$ 512 milhões somente com as vendas no canal varejo.


“O nosso plano é, em um ano e meio, fazer com que o Neocopan tenha uma participação de 20% e, assim, diminuir a distância em relação ao Buscopan”, disse o vice-presidente da União Química. Atualmente, o medicamento tem 8,3% de participação no mercado brasileiro. O executivo afirmou que a União Química irá investir em marketing e usar a força de venda para reforçar a presença do medicamento em farmácias independentes.


“Temos uma equipe com 500 vendedores que atendem aos pontos de vendas independentes no País. Além disso, temos 19 centros de distribuição próprios e podemos gerenciar os nossos estoques. Essa é uma vantagem competitiva”, disse Nogueira.


O executivo ressaltou, que pelo acordo com a Hypera, a produção, no primeiro momento, será feita nas linhas de fabricação atuais, após a certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá ser feita pela União Química.


Outra matéria sobre o tema: Conheça a trajetória de três líderes da indústria farmacêutica


Desde o ano passado, a União Química vem tentando aumentar o portfólio e os negócios no Brasil e na América Latina. A companhia fez propostas para levar os ativos de MIP da Takeda na América Latina. Na época, ela ofereceu cerca de R$ 700 milhões pela operação, mas não seguiu na disputa. Ao final, quem se saiu vencedor e levou a operação foi também a Hypera, que se dispôs a pagar US$ 825 milhões - abaixo da expectativa da Takeda, que era de US$ 1 bilhão.

Com informações do Valor Econômico


Participe do nosso grupo de WhatsApp para receber notícias relacionadas à indústria farmacêutica. Clique aqui e faça parte do seleto grupo CDPI Notícias.

0 visualização

​© 2018 CDPI PHARMA

CDPI-logo-aprovada-02.png
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Ícone cinza LinkedIn